Fundação Bienal do Mercosul

02 JUN 2018

Por dentro da Bienal: imagem, tempo e memória de André Severo

Nesta 11ª Bienal do Mercosul, o artista gaúcho André Severo apresenta Alcance (2018), obra em sequência de sua linha em produções audiovisuais e de registro de ações vivenciadas diretamente na paisagem. Trata-se de uma videoinstalação em uma sala de 20m x 6m, no MARGS. Na imensa parede longitudinal, são projetados cinco vídeos digitais com paisagens marinhas – o mar em confronto com rochedos (filmes apropriados, cedidos por colaboradores de vários continentes). No lado oposto, também apropriadas pelo artista, estão nove marinhas de artistas atuantes em meados do Séc. XX: cinco pinturas do MARGS e quatro da coleção Oscar Cardoso Saraiva. São filmes, pinturas e espaço de articulação que têm a imagem, o tempo e a memória como elementos latentes de sua estruturação.

Mestre em poéticas visuais pela UFRGS, Severo atua também como curador, editor e produtor executivo de exposições. Em 2000, com Maria Helena Bernardes, iniciou as atividades de Areal, projeto e publicações de arte contemporânea deslocada, longe dos grandes centros urbanos e de suas instituições culturais, focado em situações transitórias. Também é curador de diversas exposições pelo Brasil e exterior.

*Texto: Otto Herok Netto

*Foto: Thiéle Elissa