Milton Machado

  • O princípío do fim
    O princípío do fim

    1973

    Nanquim sobre papel

    Coleção Gilberto Chateaubriand MAM-RJ

     

    artista como ator social / denúncia / Desenho das Ideias
  • Humor
    A vontade de quebrar parâmetros e convenções instauradas encontra um importante aliado no humor, que podemos caracterizar, seguindo Mijaíl Bajtín, como a \"alegre relatividade de qualquer regime ou ordem social, de qualquer poder e de qualquer posição (hierárquica)\". O humor e suas formas - a paródia, a sátira, o grotesco, a ironia - postulam a ambivalência, a possibilidade de observar uma mesma realidade a partir de pontos de vista antagônicos para, assim, desestabilizar, por um momento, poderes, hierarquias, regras e tabus.
  • Sobre a obra na 7ª Bienal
    Os desenhos de Milton Machado são irrealizáveis dado seu forte estigma ficcional. Seus trabalhos do início dos anos setenta - em plena ditadura -  propõem narrativas impossíveis que, entretanto, se apresentam como totalmente lógicas, com as propriedades de construção de uma gramática arquitetônica da transformação das coisas, cujos resultados são da ordem do imaginário. Por outra parte, em um registro menos lúdico de resposta ao contexto, encontram-se seus desenhos Ditadura (1977), Pulmão (1976) e A culpa (Mão pesada) (1979), assim como sua série Poder (1976), nos quais o artista corrompe as lógicas normativas do espaço, de prédios e avenidas.

Milton Machado nasceu no Rio de Janeiro, Brasil, 1947. Cursa Arquitetura e Urbanismo na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro- FAU/UFRJ. Leciona no Centro de Arquitetura e Artes da Universidade Santa Úrsula, entre 1979 e 1994, e na Escola de Artes Visuais do Parque Lage - EAV/Parque Lage, de 1983 a 1994. Muda-se para Londres, em 1994, onde inicia doutorado em artes visuais no Goldsmiths College, Londres, concluído em 2000. Volta ao Brasil em 2001 e, em 2002, passa a lecionar história e teoria da arte na Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro - EBA/UFRJ. Exposições Individuais: Homem Muito Abrangente, Galeria do Lago, Museu da República, Rio de Janeiro (2006); Sobre a Mobilidade, Instituto Tomie Ohtake, São Paulo (2005); Bits of Plastic Art/Top-sider Information, Barbican Centre, Londres (2000). Exposições Coletivas: 60 Anos do MAM-RJ, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro (2008); Coleção Gilberto Chateaubriand. Um Século de Arte Contemporânea, MAM-Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e Pinacoteca do Estado, São Paulo (2005); Continental Shift, Ludwig Forum für Internationale Kunst, Aachen (2000); Continuum: Brazilian Art 1960-1990, University of Essex (1995); 19ª Bienal Internacional de São Paulo (1987).

 

Milton Machado nació en Rio de Janeiro, Brasil, en 1947; donde vive y trabaja. Artista, escritor y arquitecto especializado en Planificación urbana, egresado de la Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ (1970/1985). Posteriormente, entre los años 1994 y 1999 concluyó su doctorado en Goldsmiths College, en Londres. Regresa a Brasil en 2001 y comienza a impartir clases de historia y teoría del arte en la Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, EBA/UFRJ, donde se desempeña como profesor adjunto. . Vuelve a Brasil en 2001 y, en 2002, pasa a impartir clases de historia y teoría del arte en la Escuela de Bellas Artes de la Universidade Federal do Rio de Janeiro -EBA/UFRJ. Entre sus exposiciones individuales más recientes se encuentran: Homem Muito Abrangente, Galería do Lago, Museu da República, Rio de Janeiro (2006); Sobre a Mobilidade, Instituto Tomie Ohtake, San Pablo (2005); Bits of Plastic Art/Top-sider Information, Barbican Centre, Londres (2000). Algunas de sus exposiciones colectivas incluyen: 60 Anos do MAM-RJ, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro (2008); Colección Gilberto Chateaubriand. Um Século de Arte Contemporânea, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro y Pinacoteca do Estado de São Paulo, San Pablo (2005); Continental Shift, Ludwig Forum für Internationale Kunst, Aquisgrán (2000); Continuum: Brazilian Art 1960-1990, University of Essex, Colchester (1995); 19ª Bienal Internacional de São Paulo, San Pablo (1987).

Milton Machado was born in Rio de Janeiro in 1947. He studied Architecture and Urbanism at the Universidade Federal do Rio de Janeiro (FAU/UFRJ). Between 1979 and 1994 he taught at the Centro de Arquitetura e Artes at the Universidade Santa Úrsula, and at the Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV/Parque Lage) from 1983 to 1994. In 1994, he moved to London where he began his doctoral studies in fine art at Goldsmiths College, University of London, finishing in 2000. He returned to Brazil in 2001, and in 2002 began to teach art history and theory at the Escola de Belas Artes of the Universidade Federal do Rio de Janeiro (EBA/UFRJ). His solo exhibitions include: Homem Muito Abrangente, Galeria do Lago, Museu da República, Rio de Janeiro (2006); Sobre a Mobilidade, Instituto Tomie Ohtake, São Paulo (2005); and Bits of Plastic Art/Top-sider Information, Barbican Centre, London (2000). Group exhibitions include: 60 Anos do MAM-RJ, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (2008); Coleção Gilberto Chateaubriand. Um Século de Arte Contemporânea, Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro and Pinacoteca do Estado, São Paulo (2005); Continental Shift, Ludwig Forum für Internationale Kunst, Aachen (2000); Continuum: Brazilian Art 1960-1990, University of Essex (1995); and 19ª Bienal Internacional de São Paulo (1987).